Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
CRISTO É A VERDADE

Translate this Page

Rating: 3.0/5 (2943 votos)



ONLINE
2





http://www.comcms.com.br/

RUINAS DE LAUDICEIA

 25-12-2012




Descobrindo a Antiga Cidade de Laodiceia

 

 


Laodiceia
Laodiceia estava localizada numa rota comercial que a tornava um importante centro bancário. No quarto século, Laodiceia havia-se tornado a sede episcopal da Ásia Menor e os bispos cristãos realizaram ali um famoso concilio em 361 d.C. O abastecimento de água de Laodiceia vinha de cidades das redondezas por meio de um sofisticado sistema de aquedutos [*]. O sol amornava a água, o que serviu de base para a chocante analogia de Apocalipse 3.14-22. Durante as guerras entre muçulmanos da Idade Média, Laodiceia foi destruída e abandonada. No século dezessete os viajantes notaram que a cidade estava habitada somente por lobos e raposas. Suas ruínas permanecem desoladas hoje como se fora fantasma.




Laodiceia era uma das três cidades bíblicas que situava no vale do Rio Lico, um tributário do Rio Meander. Colosso ficava 14 km ao leste, Hierápolis ficava 9 km ao norte. 1 km da margem de Lico. Laodicéia estava a 72 km do sudeste da Filadélfia e dominava a antiga estrada principal que levava para Efésios (160 km ao oeste) pelos vales de Meander e Lico à Síria. Originalmente chamada de Diospolis e Rhoas, Antioco II Theos (286-246 BC), monarca da Síria, foi colonizada entre 261 2 246 AC. E foi renomeada por causa de sua primeira esposa, Laodice ( o qual depois repudiou e foi expulso para Efésios). 



Em 190 AC Laodiceia vivia sob o governo de Pérgamo, então depois do ano 133 AC. ela ficou sendo controlada por Roma que a fez de uma cidade livre. 

Aproximadamente no primeiro século AC ela era uma das principais cidades da Ásia menor, famosa pelos tecidos, sandálias e a medicina. Laodiceia (nome completo: "Laodiceia ad Lyceum," “ Laodiceia em Lico”) era também um centro de bancos.




No século 1 AD Laodiceia foi abitada por sua população nativa que falava o grego siríaco, Gregos, Romanos e nativos romanizados ao longo de uma colônia judaica importantes. Esses Judeus regularmente enviavam uma contribuição de ouro para o templo de Jerusalém. Segundo Cicero, em 62 AC o governador romano Flaco confiscava mais de 10 quilos de ouro.

A igreja crista começou cedo na cidade. Paulo mostra uma relação bem próxima entre as igrejas em Laodiceia e Colosso. A igreja em Laodiceia foi provavelmente fundada por Epafras de colosso e os fieis de Laodiceia se reuniam na casa de Ninfa (Colossenses 4:15). Saudai aos irmãos que estão em

Laodiceia e a Ninfa e à igreja que está em sua casa. 
De forma Adicional, Paulo enviou saudações para Arquipo, que talvez estava em Laodiceia (Colossenses 4:17). E dizei a Arquipo: Atenta para o ministério que recebeste no Senhor, para que o cumpras.

Fragmentos arquitetônicos e no topo uma grande colina de Laodiceia  Nenhuma escavação extensiva foi feita nesse lugar. 

Mas, desde 2000 o Departamento de Arqueologia da universidade de Pamkkale (Próxima à antiga Hierápolis) foi conduzindo a níveis variados do campo de pesquisa. A equipe de arqueologia desenterrou um centro de tingimento de roupas de 1.500 anos de idade e uma grande casa de campo (Vila).




Alguns anos depois a rua principal da cidade (Cardo Maximus) foi particularmente restaurada. Sob a rua está um sistema de cano de esgoto para esgotar agua suja de casas e negócios.





A Estrada do norte que passa ao lado da cavea do teatro no período Romano (teatro com capacidade de 8.000 pessoas).







os dois maiores teatros da cidade (15.000 assentos), datam o período Helenístico, fica no lado norte da colina. O fato de a cidade ter dois grandes teatros indica a sua prosperidade. Nos assentos estavam escrito os nomes dos donos.





A vista do norte de um escavado odeum ( (Latim: “Sala de concerto,” do Grego oideion, “escola de música ). Possivelmente coberta por telhado, esse local foi usado para palestras e concertos. Também poderá ter servido como uma bouleuterion, um lugar de reunião para o conselho da cidade de Laodiceia (Grego Boule).


A vista do sul em algum dos arcos que foram partes do ginásio e balneários, localizados no norte do estádio. O mesmo foi dedicado ao imperador Trajano Adriano e sua esposa Sabina aproximadamente no ano 124 DC.




Quartos de uma grande casa descoberta próximo de Ágora (Mercado).












Laodiceia

A cidade está localizada junto ao rio Lico Vale juntamente com Hierápolis e Colossos. Este vale é uma rota natural de viagens de leste a oeste.


A cidade foi fundada pelo rei selêucida Antíoco II e dado este nome Laodiceia por volta do ano 260 aC, em honra à esposa do rei.




Mornidão em Laodiceia

"Ao anjo da igreja em Laodiceia escreve: Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente: Quem dera fosses frio ou quente. Assim, porque és morno, nem frio nem quente, vomitar-te eu vou sair da minha boca "(Ap 3:14-16)



Aqueduto

A água que foi canalizado para Laodiceia era rica em cálcio, razão que provocou ao longo do tempo a corrosão dos canos e o consequente bloqueamento. Os engenheiros conceberam um aqueduto com aberturas cobertas com pedras que podem ser removidos periodicamente para limpeza.

Jesus repreende os membros da igreja desta cidade pela tibieza não repreende a sua falta de fervor, mas a sua falta de eficácia.

Acima, parte de dois aquedutos (tubo) que traziam água do sul para Laodiceia  Essa divisão foi feita de blocos de pedras individuais, selado colado com emplastro e azeite de oliva. 

A aguá era tão concentrada com minerais que os engenheiros Romanos projetaram aberturas, tampadas com pedras removíveis, assim o cano poderia ser limpo previamente.











Acima. Canos encrostados de água mineral de mais de 20 metros altura no lado sul da colina, perto do estádio e do balneário. O aqueduto que levava água para a cidade terminava aqui. Daqui a água mineral morna era distribuída para a cidade.




Estádio

Um dos estádios pouco preservados do mundo antigo, este em Laodiceia foi construído por Nicostratus e dedicado a Vespasiano em 79 dC de acordo com uma inscrição aqui encontrada.

O estádio é circular em ambas as extremidades, e foi o complexo total foi de 900 metros de comprimento. Usado principalmente para a execução de corridas, o comprimento da faixa foi fixada em 600 metros, também conhecido como um estádio.

O grande estádio que também servia como anfiteatro. Ele foi dedicado por um cidadão rico para o imperador Romano Vespasiano e era usado para a prática do atletismo e competição gladiatória. O estádio tinha assentos para 40.000 pessoas, com um espaço extra para 15.000 na rampa do norte.




Escavações

Uma escavação em pequena escala do lugar foi realizada entre 1961-63 por uma equipa do Canadá liderada por Gagniers Jean. O foco do seu trabalho foi no estudo sobre o fornecimento de água na Primavera Baspinar por um aqueduto que ainda existe. Foi datado do início do século 3 dC.














"Portão de Éfeso"


Este portal triplo em arco foi dedicado a Domiciano (81-96). Aparentemente Laodiceia recebeu o evangelho não de Paulo, mas de Epafras um dos seus auxiliares durante o tempo em que Paulo esteve em Éfeso. Paulo escreveu à igreja uma carta durante a sua primeira prisão romana. Esta carta não é conhecida historicamente como alguns têm sugerido que é a carta hoje conhecida como Efésios.













MONTANHAS: Laodiceia fica no principal cruzamento de estradas dos vales da Ásia Menor, no que é hoje a Turquia. A cidade estava situada numa montanha que dava para um vale fértil e majestosas montanhas. Nos tempos romanos, a cidade era um importante centro de administração e comércio. As questões de justiça da região eram ouvidas em Laodiceia e fundos eram depositados nos bancos da cidade para segurança. Embora danificada por terremotos durante o reino de Augusto (27 a.C. - 14 d.C.) e novamente em 60 d.C, a cidade continuou reconstruindo e prosperando




PANORAMA: Laodiceia era um centro para a indústria têxtil regional. Os rebanhos mantidos próximo aos vales produziam lã negra que era excepcionalmente macia. A lã era comprada e vendida nos mercados




Através dos olhos de João:
 
Laodiceia é a ultima das sete igrejas mencionadas no livro do apocalipse e a única igreja sobre a qual Jesus não tinha nada de bom para falar sobre ela. Jesus os chamou de “desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.” Os Cristãos de Laodiceia eram sem brilho e sem qualidade, vivendo em uma sociedade egoísta e muita rica. Eles perderam sua vitalidade e fervor.
Laodiceia era famosa por três coisas: seu grande interesse bancário, sua indústria têxtil e sua produção de uma pomada para os olhos. João fez referência a todas as três.
 
Em 60 DC. 35 anos antes de João escrever o Apocalipse, Laodicéia foi destruída por um terremoto. No século 2 DC o historiador Romano Tácito declarou, “uma das cidades famosas da Ásia, Laodiceia  foi arrasada por um terremoto, e, sem qualquer duvida, ele se recuperou com os próprios recursos.”
 
 
A reconstrução de forma incontestável foi financiada por suas próprias riquezas. Assim, o povo de Laodiceia rejeitou a ajuda monetária oferecida pelo senado Romano. Tal autossuficiência fez com que João declarasse: “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta.” Como riqueza de Laodiceia  usavam roupas de lã brilhosa, roupas para o inverno, e consequentemente, João diz “ e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez.”
 
Ainda uma das mercadorias mencionadas fez com que João afirmasse: “e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” Uma escola médica produzia uma pomada para os olhos (Colirio) referido como “pó da Frigia” feita de uma pedra local. Acreditava-se a mesa curava um olho com problema. Apenas jesus pode curar a segeira espiritual deles.
 
Criar um Site Grátis Incrível | Criar uma Loja online Grátis | Sites Grátis | Free Websites | Wordpress e Prestashop Grátis