CRISTO É A VERDADE

Translate this Page

Rating: 3.0/5 (2965 votos)



ONLINE
6





http://www.comcms.com.br/

MOEDAS EM OURO BRANCO ENCONTRADAS EM ISRAEL


MOEDAS EM OURO E OURO BRANCO ENCONTRADAS EM ISRAEL
O ouro é mencionado 285 vezes na Bíblia Hebraica, mais do que qualquer outro metal e do uso de sua imagem pelos escritores bíblicos é tão rica e variada como os objetos preciosos em que foi formado durante a antiguidade. Ouro jóia oferecida a Rebecca (Génesis 24) e José (Génesis 41:39-44) refletem o seu estado de honra como a noiva de Isaque e vice-rei Faraó, respectivamente, mas o bezerro de ouro idolátrico forjada no sopé do Monte Sinai trouxe vergonha e sofrimento sobre os israelitas. Abraão e Salomão ambos acumularam riquezas grandes no ouro (Génesis 13; 1 Reis 10), um sinal de Deus favor, ainda em Deuteronómio, os reis são aconselhados a não buscar bens materiais em prata e ouro (Deuteronómio 17:17). Deus testa a fidelidade do seu povo e refina os seus corações como o ouro (Zacarias 13:9; Malaquias 3:3, Jó 23:10), mas a Bíblia menciona várias coisas mais valiosas do que ouro: um bom nome (Provérbios 22:01) , a sabedoria (Jó 28) e a lei de Deus (Sl 119:72).
Embora minas de ouro não se encontrem naturalmente em Israel, Jerusalém é iluminado com os tesouros do museu de ouro reluzente duas exposições de Puro ouro no Museu Terras da Bíblia e Ouro Branco no Museu de Israel.

Puro Ouro apresenta muitas qualidades desejáveis ​​de ouro é raro, mas acessível, maleável, mas duradouro em objectos deslumbrantes de todo o mundo antigo. A exposição é predominantemente abatidos da coleção da própria Bíblia Museu das Terras, que começou como a coleção pessoal do fundador do museu, o falecido Elie Borowski. Agora, sob a orientação de especialistas da mulher de Elie, diretor emérito e co-fundador Batya Borowski, e a filha de Batya, o diretor Amanda Weiss, o museu possui uma das melhores coleções do mundo de artefatos bíblicos e ainda outros objetos de procedência desconhecida do mercado de antiguidades.

O ouro do Levante é escasso em comparação com a de outras áreas. A exposição também apresenta objetos elegantes e intrincados do mundo greco-romano (ver pingente de Afrodite acima), Egito, Mesopotâmia, Irão, China e Ásia Oriental. Todos refletem a beleza artística e habilidade técnica que o ouro trabalhado por artesãos foram capazes de alcançar na antiguidade.
A uma curta caminhada de distância, o Museu de Israel é oferecido aos visitantes um olhar único, a mais pequena moeda do mundo na exposição Ouro Branco. As primeiras moedas de sempre foram atingidas durante o final de século VII aC nas cidades gregas da Lídia, no oeste da Turquia, onde a liga de ouro-prata conhecido como Ouro Branco, ou electro, ocorre naturalmente. Por um tempo depois, as moedas foram feitas apenas de electro, ea raridade da liga limitada a fabricação eo uso de moedas principalmente para a Turquia ocidental. Com a invenção de moedas de ouro e prata em meados do século sexta (também em Lydia), no entanto, a cunhagem de moedas e uso espalhou-se rapidamente por todo o mundo mediterrâneo.
Moedas de pagamento comercial padronizados e permitiu um valor mensurável para ser aplicado a praticamente todos os bens e serviços nas economias antigas. As autoridades que regulam a cunhagem das moedas foram capazes de controlar o sistema ao expressar o seu poder através de símbolos das moedas ", também chamados de" tipos ". Nestes sistemas, as moedas valem mais do que o valor intrínseco de seus metais.

A exposição apresenta 500 peças de Ouro Branco exemplos de moedas electrum que estiveram na vanguarda deste desenvolvimento de mudar o mundo.

As moedas são divididas por tipos retratados em "Mitos", "Animals" e "mortais" para destacar a imagem e simbolismo apresentado nesses artefatos minúsculos. O stater do sétimo século foto à esquerda mostra um veado manchado abaixo uma inscrição em grego que diz: "Eu sou o sinal de Phanes".

Criar um Site Grátis Incrível | Criar uma Loja online Grátis | Sites Grátis | Free Websites | Wordpress e Prestashop Grátis